As teorias de Summer: De malas vazias.

Untitled
É engraçado viver uma situação onde antes você tinha apenas uma vaga idéia de como seria. Relacionamentos nunca são fáceis, e nem sempre são como os contos de fadas que nos contam quando temos cinco anos de idade. Já escutei vários casos onde os pais se divorciaram e na verdade, tenho alguns colegas que já viveram essa situação, mas as coisas são totalmente diferentes quando é você que tem de lidar cara a cara com isso. 
Acredito que ninguém saia dessa sem alguns ferimentos de guerra, afinal...de uma certa forma, as pessoas envolvidas decidiram construir uma vida, tiveram planos e com certeza não esperavam ver tudo se dissolver num piscar de olhos.
Não sou de contar à todos as coisas que vivo ou cheguei a viver dentro de casa; as pessoas às vezes fingem querer saber e as que querem realmente ajudar, normalmente não podem, pois não está ao alcance delas. Em situações como essas, alguns tem o costume de dizer que tudo ficará bem, que precisamos ser fortes; outros não concordam e acreditam que com um pouco mais de ''esforço'' as coisas estariam melhores. A verdade é que, apenas quem está dentro do contexto sabe o quanto foi feito para que as coisas dessem certo. Talvez se tudo isso tivesse acontecido há uns cinco anos atrás, eu pensaria de uma outra forma. Mas na atual situação, eu tenho a plena certeza de que foi a melhor coisa a se fazer.


Não sei muito sobre o amor, mas acredito que ele seja uma via de mão dupla, e quando o respeito e o carinho deixam de ser a base...ah, com certeza as coisas tendem a piorar. Depois de todo esse desgaste, chegam as lágrimas, os gritos, as manipulações, as noites mal dormidas, as olheiras, as especulações, e depois disso os sintomas ficam cada vez piores, até chegarmos ao esgotamento total. Enfim estamos no momento decisivo. Não há mais um relacionamento e mesmo você querendo ajudar, não existem palavras de conforto que possam realmente acalmar. 
As pessoas tem o péssimo costume de falar pelas costas, mas como observadora direta desse caos, pude acompanhar o desbotamento das cores, da perda do amor, e por mais que eu tente convencer os outros de que as coisas serão melhores assim, sempre haverá alguém que deixará essa nova travessia ainda mais pesada.

Eu sempre pensei que as mudanças seriam fáceis mesmo não gostando delas... A idéia era empacotar tudo, colocar em caixas e decidir quem iria ficar com a geladeira e quem ficaria com a mesinha de vidro que ficava perto da televisão. A casa se torna uma bagunça estranha, e você começa a perceber como é custoso construir uma vida; quanto tempo leva para colocar degrau por degrau na relação e em questões de segundos, tudo desmorona. Como um castelo de areia construído na beira do mar, apenas esperando a onda levar. No final das contas, você percebe que possuí poucas coisas e que toda a sua vida, cabe apenas em três malas e algumas caixas. 
Essa com certeza não é a situação que eu espero que alguém viva. Mas olhando agora as paredes que já foram retocadas tantas vezes e as marcas perto da porta onde costumavam ficar os quadros, percebo que a nossa vida será sempre assim...que apesar de todas as mudanças, sempre terá uma pequena marca dentro de nós. E mesmo que você coloque algo em cima, saberá que ainda está lá. Alguns rompimentos tornam as cargas mais leves. Então você acaba percebendo que está indo embora de malas vazias, pois não há nada dentro da casa que lhe pertença de verdade.

Eu ainda estou tentando entender todo esse turbilhão de sentimentos, mas tenho a certeza que com toda essa mudança, existe uma possibilidade de recomeçar. E pela primeira vez, a frase ''Toda história tem um fim, mas na vida cada final é um novo começo!'' passa a fazer sentido. 



4 comentários:

  1. Eu amo tudo no seu blog, mas confesso que "As teorias de Summer" me fazem muito bem, amo seus textos, vc escreve de uma forma tão bonita!!! E mudanças no momento são sempre tensas, depois vc acostuma, por mais difícil que isso seja :'( quando voltei a morar em Pguá me senti dessa maneira, ainda não me acostumei muito, mas fazer o que :| Eu espero que vc fique sempre bem e estarei sempre torcendo para o seu bem e o da sua família <3 Um beijo, te amo <3

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Hey Amandita eu fico feliz em saber disso,fico feliz de que goste das coisas que eu escrevo e receber esse carinho me incentiva a continuar escrevendo. E de fatos mudanças não são fáceis e as vezes é ainda mais difícil pra algumas pessoas,mas eu sei que com o tempo as coisas se ajeitam e aprendemos a lidar melhor com isso. Muito obrigada pelas palavras,pelo carinho e pela força!. Também amo você,um xêro <3

      Excluir
  2. Que texto lindo, Hadassa. Muito bem escrito, parabéns!

    http://blogdocmedeiros.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...